Pitada Psicológica Rute Gabriel

O Fardo do Guerreiro: A Lei da Resistência e da Aceitação

Neste artigo vais reparar que as pessoas são mais resistentes do que pensam…

e vais perceber porque é que nós NÃO vemos isso como um elogio.

 

Lembras-te daquela sensação esquisita de “desconforto” quando alguém faz algo por ti “sem razão aparente”, ou te oferece algo de livre iniciativa e sem pedir nada em troca? – parece que até nos sentimos mal… que sentimos uma resistência emocional ao RECEBER.

Essa resistência é a mesma que faz as pessoas dizer, às vezes até com desdém, que não querem “caridade”, ou, como a minha vizinha do lado, que se recusa a aceitar um único cêntimo a mais pelos seus deliciosos queijos, e até já me perseguiu rua abaixo para me dar uns meros 0.50 cêntimos que tinham ficado do troco…

Essa resistência é a mesma que faz com que, quando és empurrado, resistes. E até empurras para trás. Ou quando empurras alguém (não apenas “empurrões” fisicos, se é que me entendes), essa pessoa vai resistir ao movimento que interferiu com ela.

 

RESISTÊNCIA

Aprendemos, erradamente, que resistir é uma coisa boa, quando, realmente, apenas torna tudo muito mais dificil. Como ter demasiada tensão nos músculos não te prepara melhor para saltar, até te faz dar um salto mais pequeno, e habilita-te a apanhares umas belas cãibras.

  • Aprendemos e aceitamos que a vida é dificil, que temos de lutar e persistir, sofrer e resistir, e apegamo-nos mais ao sentido de luta do que simplesmente evoluirmos para a vida que queremos ter.
  • Eventualmente, luta e sofrimento passam a fazer parte do nosso “normal e quotidiano”, tornando-se mais fácil esta vida de sacrificio e luta do que permitires-te a receber o que a vida tem para oferecer.

Resistimos. A vida traz uma oportunidade e nós dizemos não. A vida traz um desafio e nós dizemos “Não, não consigo”, “não estou preparado”, Não.

 

Quando aceitamos que a vida é feita de dificuldades e luta, tornas-te um lutador….

…e um lutador está condenado a passar a vida a LUTAR porque faz parte de quem ele é…

 Estás a absorver as tuas dificuldades como parte da tua identidade – como parte de quem tu és! Isto é bastante perigoso, porque, como todos nós, queres ter sucesso na tua vida. Mas como podes esperar atingir uma vida mais fácil e de sucesso se resistes a cada desafio, se deixaste essa parte negativa da tua vida contaminar quem tu és?

 

Então, porque resistimos?

  • Pela mesma razão que resistimos à força que nos empurra – temos medo de cair.
  • Resistimos porque não queremos aceitar certas possibilidades (normalmente as negativas) consequentes das nossas ações.

 

“Os principais riscos que estamos a correr, são riscos que resultam das nossas próprias actividades, e portanto, nos cabe a nós resolver.”
 
Prof.Gerald Diamond no seu livro “Colapso”

Humildemente, adiciono mais alguma coisa a esta frase. Que, estes “riscos que resultam das nossas actividades”, nos cabe a nós ACEITAR, e resolver.

 

A verdade é que uma forma mais paciva de resistência é evitação ou procrastinação. 

E muitas vezes preferimos evitar riscos, ou hipotéticos problemas germinados da tua actividade, do que tomar ação, ACEITAR os riscos, e resolvê-los.

Por medo de cair, resistimos a estes riscos. Mas ao fazer isso, também sacrificamos a outra face da moeda – o sucesso e os beneficios que teriamos se tivéssemos aceite os riscos, enfrentado os nossos desafios, e transformado em pessoas mais sábias, experientes, e portanto, mais avançados na nossa evolução.

É comparável a aceitares jogar um jogo de cartas, e negares-te de jogar e divertir por causa do risco da possibilidade de perder o jogo.

 

ACEITAÇÃO

Mas quando ACEITAS todas as possibilidades, estás preparado para tudo.

Quando ACEITAS os possíveis riscos e não resistes ao que a vida tem para oferecer e ensinar, independentemente das coisas correrem de acordo com o planeado, estás LIVRE para manobrar e manter o teu curso, e ganhar a cartada.

Não resistas. ACEITA.

Aceita todas as possibilidades – não as evites, olha para ela nos olhos e reconhece-as.

Porque quando passas a conhecer o desconhecido, já não o temes, e tens a clareza de espírito para perseguir a vida que queres.

Já dizia um velho ditado oriental:

“Perante o sopro constante do vento, é o bambu flexivel, não o carvalho forte, que se volta a erguer quando o vento cessa. O bambu dobra-se à vontade do vento para depois de erguer – o carvalho resiste à força do vento, até que,mais tarde ou mais cedo, é arrancado pelas raízes.”

A vida dá-nos sempre aquilo que precisamos, não necessariamente aquilo que queremos. Mas sempre aquilo que precisamos.

 

Não resistas às dificuldades. A vida dá-tas para te poderes tornar mais forte.

Aceita-as como as oportunidades que são para aprenderes e melhorares a tua vida.

Para te tornares mais sábio e experiente e te possas sentir verdadeiramente LIVRE para receber tudo o que a vida te der,

mesmo aquelas coisas que não queremos, mas talvez, precisemos.

 

Liberta-te! Diz-nos se este artigo te foi útil de alguma forma, se gostaste, ou não, aqui mesmo nos comentários

– ah, e não te esqueças de clicar aqui para subscrever e receber mais conteúdo libertador como este convenientemente no teu email!

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *